De acordo com a superintendente da FJS, Leila Brito, por conta da alta incidência do câncer de próstata, as três entidades decidiram unir esforços e atuar em conjunto para concretizar essa mobilização de amplo impacto social na Bahia. “O nosso papel é, também, chamar a atenção da população sobre a necessidade de realização do exame periódico. O preconceito e a desinformação fazem com que grande número de homens deixe de atender a recomendação de buscar atendimento na faixa etária recomendada”, explicou.

O câncer de próstata é considerado um problema de saúde pública no Brasil, em função das elevadas taxas de incidência e mortalidade: o número de mortes ultrapassou 12.700, no ano de 2010, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Na Bahia, dos 7.980 novos casos de câncer previstos para 2012, uma parcela de 2.930 são de tumor na próstata. O médico urologista da Fundação José Silveira, Marcelo Brandão, afirma que é uma doença traiçoeira, pois se desenvolve lentamente e é pouco assintomática. Além disso, comentou sobre as formas de prevenção.

“Quando há o diagnóstico precoce, o paciente tem 100% de chances de cura. Para se prevenir, é importante cultivar hábitos saudáveis, tais como praticar atividades físicas e ter uma alimentação balanceada, além de estar atento à história genética”.

Na oportunidade foi firmado um Protocolo de Intenções entre as três instituições, que visa a promoção do Movimento Saúde, Sustentabilidade e Vida, com a realização de encontros, palestras, seminários, eventos de cunho técnico-científico, publicações e outras mobilizações da campanha “Um Toque, um Drible”. A Fundação José Silveira vai realizar, também, três mutirões de saúde, dois deles no interior e um na capital, quando serão disponibilizados gratuitamente consultas e exames. Os casos identificados vão ser encaminhados para tratamento em unidades especializadas.