COMPARTILHE:

Artigos científicos

Clique nos links para baixar/visualizar os artigos. • Systems Immunology of Diabetes-Tuberculosis Comorbidity Reveals Signatures of Disease Complications – Autors: Cesar A. Prada-Medina, Kiyoshi F. Fukutani, Nathella Pavan Kumar, Leonardo Gil-Santana, Subash Babu, Flávio Lichtenstein1, Kim West, Shanmugam Sivakumar, Pradeep A. Menon, Vijay Viswanathan, Bruno B. Andrade, Helder I. Nakaya & Hardy Kornfeld. Published: 17 may, 2017 • Mycobacterium tuberculosis induction of heme Oxygenase-1 expression is Dependent on Oxidative stress and reflects Treatment Outcomes – Autors: Neesha Rockwood, Diego L. Costa, Eduardo P. Amaral, Elsa Du Bruyn1, Andre Kubler, Leonardo Gil-Santana, Kiyoshi F. Fukutani, Charles A. Scanga, JoAnne L. Flynn, Sharon H. Jackson, Katalin A. Wilkinson, William R. Bishai, Alan Sher, Robert J. Wilkinson and Bruno B. Andrade. Published: 12 May 2017 • Sustained elevated levels of C-reactive protein and ferritin in pulmonary tuberculosis patients remaining culture positive upon treatment initiation – Autors: Pryscila Miranda, Leonardo Gil-Santana, Marina G. Oliveira, Eliene D. D. Mesquita, Elisangela Silva, Anneloek Rauwerdink, Frank Cobelens, Martha M. Oliveira, Bruno B. Andrade, Afrânio Kritski. Published: April 6, 2017 • Nuclear Factor I?B Activation Pathways During Mycobacterium tuberculosis Infection – Autors: Eduardo P Amaral and Bruno B Andrade. Published: February 1, 2017 • Transient Hearing Loss in Adults Associated with Zika Virus Infection (Perda auditiva transitária em adultos associada com a infecção pelo Zika vírus) – Autors: Eriko S Vinhaes, Luciane A Santos, Lislane Dias, Nilvano A Andrade, Victor H Bezerra, Anderson T de Carvalho, Laise de Moraes, Daniele F Henriques, Sasha R Azar, Nikos Vasilakis, Albert I Ko, Bruno B Andrade, Isadora C Siqueira, Ricardo Khouri, Viviane S Boaventura. Published: Dez 7 , 2016 Resumo Em 2015, durante o surto do vírus da Zika no Brasil, foram identificados três casos de perda auditiva aguda após a doença exantemática. Este trabalho descreve a ocorrência perda auditiva temporária como manifestação até então desconhecida da infecção pelo vírus da Zika em pacientes da Bahia. • Gene Expression Profile of High IFN-I? Producers Stimulated with Leishmania braziliensis Identifies Genes Associated with Cutaneous Leishmaniasis (Perfil de expressão genética em altos produtores de IFN-I? quando estimulados com Leishmania braziliensis identifica genes associados A? Leishmaniose Cutânea) – Autores: Marcia W. Carneiro, Kiyoshi F. Fukutani, Bruno B. Andrade, Rebecca P. Curvelo, Juqueline R. Cristal, Augusto M. Carvalho, Aldina Barral, Johan Van Weyenbergh, Manoel Barral-Netto, Camila I. de Oliveira. Published: Nov 21, 2016 Resumo O controle do desenvolvimento da Leishmaniose Cutânea (LC) depende da resposta imunológica do hospedeiro. Uma das principais moléculas na determinação da eliminação de parasitas de Leishmania da célula hospedeira infectada A? a citocina interferon gama (IFN-I?). O objetivo deste estudo foi investigar quais genes de resposta imune estão associados com a produção de IFN-I? no contexto da infecção por Leishmania. Identificamos indivíduos que são altos ou baixos produtores de IFN-I? após a estimulação de suas células sanguíneas periféricas com parasitas de Leishmania. Determinamos então o perfil de expressão dos genes imunes destes indivíduos e identificamos um conjunto de genes que são diferencialmente expressos comparando produtores de IFN-I? altos e baixos. A expressão desses genes também foi avaliada em pacientes com LC e em indivíduos com infecção subclínica de Leishmania (SC). Neste contexto, o padrão geral de expressão desta combinação genética particular discriminou os pacientes LC x dos indivíduos SC. Compreender a resposta inicial A? Leishmania pode levar A? identificação de marcadores que estão associados com o desenvolvimento de LC. • N-acetyl-cysteine exhibits potent anti-mycobacterial activity in addition to its known anti-oxidative functions (A N-acetil-cisteína exibe uma potente atividade anti-micobacteriana em adição das suas funções anti-oxidativas conhecidas) – Autors: Eduardo P. Amaral, Elisabete L. Conceição, Diego L. Costa, Michael S. Rocha, Jamocyr M. Marinho, Marcelo Cordeiro-Santos, Maria Regina Da??ImpA?rio-Lima, Theolis Barbosa, Alan Sher and Bruno B. Andrade. Published: October25, 2016 Resumo Pensa-se que a infecção por Mycobacterium tuberculosis induz o estresse oxidativo. A N-acetil-cisteína (NAC) A? amplamente utilizada em pacientes com doenças pulmonares crônicas, incluindo tuberculose, devido às suas atividades mucolíticas e antioxidantes. Aqui, testamos se o NAC exerce uma atividade antibiótica direta contra as micobactárias. Pacientes com TB ativa apresentaram nóveis elevados de produtos de oxidação e uma redução de antioxidantes em comparação com casos de infecção latente ou controles não infectados. O tratamento com NAC em macrófagos humanos infectados com M. tuberculosis resultou numa diminuição do stress oxidativo e morte celular evocada por micobactárias. A? importante notar que observamos uma redução dose-dependente na atividade metabólica e crescimento in vitro de M. tuberculosis, M. avium e M. bovis BCG tratados com NAC. Além disso, demonstrou-se que a atividade anti-micobacteriana em macrófagos infectados A? independente dos efeitos do NAC no sistema hospedeiro NADPH oxidase in vitro. O tratamento de NAC a curto prazo de camundongos infectados com M. tuberculosis in vivo resultou numa redução significativa das cargas micobacterianas nos pulmães. Assim, o NAC exibe potentes efeitos anti-micobacterianos e pode limitar a infecção por M. tuberculosis e a doença tuberculose tanto através da supressão da resposta oxidativa do hospedeiro como através da atividade antimicrobiana direta. • Pharmacological Inhibition of Host Heme Oxygenase-1 Suppresses Mycobacterium tuberculosis Infection In Vivo by a Mechanism Dependent on T Lymphocytes (A Inibição Farmacológica da Heme Oxygenase-1 do hospedeiro suprime a infecção por Mycobacterium tuberculosis in vivo por um mecanismo dependente de linfócitos T) – Autors: Diego L. Costa,Sivaranjani Namasivayam,Eduardo P. Amaral,Kriti Arora,Alex Chao,Lara R. Mittereder,Mamoudou Maiga,Helena I. Boshoff,Clifton E. Barry III,Celia W. Goulding,Bruno B. Andrade,Alan Sher. Published: October 25, 2016 Resumo A Heme oxigenase-1 (HO-1) A? uma enzima antioxidante de resposta ao stress que catalisa a degradação do heme, liberado durante a inflamação. A expressão de HO-1 A? regulada tanto em infecção experimental como em infecção por Mycobacterium tuberculosis humana, e em pacientes A? um biomarcador de doença ativa. Se a enzima desempenha um papel protetor versus patogênico na tuberculose tem sido objeto de debate. Para resolver esta controvérsia, administraram-se protoporfirina IX de estanho (SnPPIX), um inibidor enzimático HO-1 bem caracterizado, a camundongos durante a infecção aguda por M. tuberculosis. Estes animais tratados com SnPPIX mostraram uma redução substancial nas cargas bacterianas pulmonares comparóveis àquela obtida após terapia antibiótica convencional. Além disso, quando administrado em conjunto com fármacos antimicobacterianos, o inibidor de HO-1 aumentou acentuadamente e acelerou a depuração de patógenos. Curiosamente, tanto a indução pulmonar da expressão de HO-1 como a eficácia do tratamento com SnPPIX na redução da carga bacteriana foram dependentes da presencia de linfócitos T do hospedeiro. Embora M. tuberculosis expresse a sua própria enzima degradante da heme, SnPPIX não conseguiu inibir a sua atividade enzimática ou restringir significativamente o crescimento bacteriano em cultura líquida. Juntas, as descobertas acima revelam HO-1 de mamífero como um alvo potencial para a monoterapia dirigida ao hospedeiro e terapia adjuvante da tuberculose. • Role of LTA4H Polymorphism in Tuberculosis-Associated Immune Reconstitution inflammatory Syndrome Occurrence and Clinical Severity in Patients Infected with HIV (Papel de LTA4H polimorfismo na tuberculose associada A? incidência e gravidade clínica da síndrome inflamatária de reconstituição imunitária em pacientes infectados pelo vírus) – Autors: Gopalan Narendran, Dhanasekaran Kavitha, Ramesh Karunaianantham, Leonardo Gil-Santana, Jilson L. Almeida-Junior, Sirasanambatti Devarajulu Reddy, Marimuthu Makesh Kumar, Haribabu Hemalatha, Nagesh Nalini Jayanthi, Narayanan Ravichandran, Raja Krishnaraja, Angamuthu Prabhakar, Tamizhselvan Manoharan, Bruno B. Andrade. Published: September 19, 2016 Resumo A síndrome inflamatária de reconstituição imunológica associada A? tuberculose (TB-IRIS) A? um fenúmeno inflamatário que complica o manejo do HIV na infecção por tuberculose (TB), após a reconstituição imune por terapia antirretroviral (TARV). A leucotrieno A4 hidroxilase (LTA4H), uma enzima que converte LTA4 em LTB4, regula o equilíbrio entre as lipoxinas anti-inflamatárias e o LTB4 prA?-inflamatário, com implicações diretas na inflamação induzida pela TB. Nos seres humanos, foi identificado e descrito um A?nico polimorfismo de nucleotA?deos (SNP) no promotor de LTA4H que regula a sua atividade transcricional (rs17525495) para impactar a gravidade clínica da apresentação de TB e resposta A? terapia com corticosteroides. Notavelmente, o papel do LTA4H na TB-IRIS não foi previamente avaliado. No presente estudo, realizou-se uma investigação exploratária testando a associação do polimorfismo LTA4H com relação A? frequência de TB-IRIS ocorrência e gravidade da TB-IRIS apresentação em indivíduos co-infectados com HIV-TB. Observou-se maior incidência de IRIS grave entre os pacientes com genA?tipos LTA4H mutantes (CT e TT) em comparação com o tipo selvagem, apesar da incidência IRIS similar e restauração imune em ambos os grupos. Os esteroides foram eficazes no alávio da IRIS em todos os genA?tipos. • The antifibrotic drug pirfenidone promotes pulmonary cavitation and drug resistance in a mouse model of chronic tuberculosis (O fA?rmaco antifibrA?tico pirfenidona promove cavitação pulmonar e resistância a fA?rmacos num modelo murino de tuberculose crônica) (colaboração com a Universidade Johns Hopkins) – Autors: Bintou A. Ahidjo; Mariama C. Maiga; Elizabeth A. Ihms; Mamoudou Maiga; Alvaro A. Ordonez; Laurene S. Cheung; Sarah Beck; Bruno B. Andrade; Sanjay Jain; and William R. Bishai1. Published: September 8, 2016 Resumo A pirfenidona A? um fA?rmaco antifibrA?tico recentemente aprovado para o tratamento da fibrose pulmonar idiopA?tica (IPF). Como a tuberculose (TB) A? caracterizada por inflamação granulomatosa em conjunto com destruição do parA?nquima e fibrose de substituição, procurou-se determinar se a adição de pirfenidona como terapia adjuvante dirigida pelo hospedeiro proporciona um efeito benA?fico durante o tratamento antimicrobiano da TB. NA?s hipotetizamos que as propriedades antiinflamatárias e antifibráticas da pirfenidona reduziriam o dano pulmonar inflamatário e aumentariam a penetração de drogas antimicrobianas em granulomas para acelerar a resposta ao tratamento. A eficácia da pirfenidona adjuvante durante o tratamento com fA?rmaco para TB foi avaliada utilizando um modelo murino de TB crônica. Os camundongos tratados com a terapia padrão 2HRZ / 4HR (H, isoniazida, R, rifampina e Z, pirazinamida) foram comparados com 2 regimes alternativos contendo pirfenidona (Pf) (2HRZPf / 4HRPf e 2HRZPf / 4HR). Contrariamente A? nossa hipA?tese, o uso adjuvante de pirfenidona levou A? diminuição da depuração bacteriana e ao aumento das taxas de recaA?da. Esta falha do tratamento mostrou-se intimamente associada com o aparecimento de bacilos monoinsistentes A? isoniazida, aumento da cavitação e patologia pulmonar significativa. Embora os agentes antifibrA?ticos possam eventualmente ser utilizados como parte da terapêutica adjuvante dirigida pelo hospedeiro da TB, este estudo demonstra claramente que se deve ter cautela. Além disso, A? medida que a pirfenidona se torna mais amplamente utilizada na prática clínica, seria necessário um maior acompanhamento do doente em situações endA?micas de TB. • Circulating Biomarkers of Immune Activation, Oxidative Stress and Inflammation Characterize Severe Canine Visceral Leishmaniasis (Biomarcadores circulantes de ativação imune, estresse oxidativo e inflamação caracterizam a leishmaniose visceral canina grave) – Autors: Manuela S. SolcA?; Bruno B. Andrade; Melissa Moura Costa Abbehusen; Clarissa R. Teixeira; Ricardo Khouri; Jesus G. Valenzuela; Shaden Kamhawi; Patrícia Torres Bozza; Deborah Bittencourt MothA? Fraga; Valeria Matos Borges; Patrícia Sampaio Tavares Veras & Claudia Ida Brodskyn. Published: September 6, 2016 Resumo As manifestações clínicas na leishmaniose visceral canina (CVL) não foram claramente associadas ao estado imunológico ou A? progressA?o da doença. Avaliamos simultaneamente biomarcadores de inflamação, ativação imunológica, estresse oxidativo e concentrações de IgG de saliva do mosquito palha, transmissor da leishmaniose, em soros de cA?es com diferentes manifestações clínicas para caracterizar uma bioassinatura associada A? gravidade da CVL. Em um estudo exploratário transversal, uma população aleatária de 70 cA?es de uma Área endA?mica no Brasil foi classificada de acordo com a gravidade clínica CVL e avaliação parasitológica. Foi medido um painel de biomarcadores e IgG de saliva de mosquito palha em soros caninos. A avaliação da expressão proteica de biomarcadores de perfil identificou uma bioassinatura distinta que poderia agrupar grupos animais separados com diferentes escores clínicos. Os escores de gravidade crescentes foram associados a uma diminuição gradual de LTB4 e PGE2, e um aumento gradual de CXCL1 e CCL2. Análises discriminantes revelaram que a avaliação combinada de LTB4, PGE2 e CXCL1 foi capaz de distinguir cA?es com diferentes pontuações clínicas. CA?es com os maiores valores de escore clínico também exibiram altas cargas parasitárias e maiores concentrações de anticorpos anti-saliva. Nossos achados sugerem CVL gravidade clínica está estreitamente associada a um perfil inflamatário distinto marcado por uma expressão diferencial de circulação eicosanA?ides e quimiocinas. • Associations between systemic inflammation, mycobacterial loads in sputum and radiological improvement after treatment initiation in pulmonary TB patients from Brazil: a prospective cohort study (Associações entre inflamação sistêmica, cargas micobacterianas no escarro e melhora radiológica após do início do tratamento em pacientes com tuberculose pulmonar do Brasil: estudo de coorte prospectivo ) – Revista online BioMed Central Resumo A infecção por Mycobacterium tuberculosis A? conhecida por causar inflamação e danos ao tecido pulmonar em populações de alto risco. No entanto, as associações diretas entre cargas micobacterianas, inflamação sistêmica e lesões pulmonares após o início do tratamento não foram totalmente caracterizadas. No presente estudo exploratário, descrevemos prospectivamente o perfil imunológico, a depuração microbiana e a evolução das lesões radiográficas em uma coorte de pacientes com tuberculose pulmonar (PTB) antes e 60 dias após o início do tratamento anti-tuberculoso (ATT). Dentro dos parâmetros inflamatários avaliados, os valores de proteína C reativa (CRP), IL-2, IL-4, TNF-I? e velocidade de hemossedimentação (VHS) diminuíram significativamente após o início do tratamento. Por outro ldo, os nóveis de IL-10 aumentaram substancialmente ao dia 60 de ATT, enquanto que as concentrações de IL-6 e IFN-y permaneceram inalteradas. Análises multidimensionais revelaram que VHS, IL-2, IL-4 e CRP foram os parâmetros com maior poder para discriminar os indivíduos antes e após o início do tratamento. Demonstramos ainda que cargas bacterianas mais elevadas no escarro no prA?-ATT estavam associadas com aumento da inflamação sistêmica e maior risco de culturas positivas de esputo de M. tuberculosis no dia 60 do tratamento. Além disso, verificou-se que as cargas micobacterianas prA?-ATT no escarro e na inflamação sistêmica associadas sinergicamente com o estado das lesões radiográficas durante o tratamento. Portanto, as cargas de M. tuberculosis no escarro estão diretamente associadas ao estado de inflamação sistêmica e podem potencialmente afetar o perfil imunológico, a conversão da cultura e a evolução das lesões pulmonares após o início do ATT. • Vitamin D, D-dimer, Interferon I?, and sCD14 Levels are Independently Associated with Immune Reconstitution Inflammatory Syndrome: A Prospective, International Study (Os nóveis de vitamina D, D-dA?mero, interferon I? e sCD14 são independentemente associados A? síndrome inflamatária de reconstituição imunológica (IRIS): um estudo internacional prospectivo) – Revista EBio Medicine – Abril / 2016 Resumo Para determinar o perfil imunológico mais importante para a predição da IRIS, avaliamos 20 marcadores basais de plasma em pacientes com Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS) iniciando terapia anti-retroviral (TARV). Os pacientes foram incluA?dos em um ensaio aleatorizado, controlado por placebo de início de tratamento na A?frica do Sul e no MA?xico para testar se maraviroc poderia prevenir IRIS. Os participantes foram classificados prospectivamente como tendo IRIS dentro de 6 meses do início da TAR. Vinte biomarcadores plasmáticos foram medidos no enrolamento do estudo para 267 participantes. Os biomarcadores foram testados para a predição de IRIS com ajuste para covarióveis escolhidos através de seleA?A?o passo a passo. Sessenta e dois participantes desenvolveram IRIS e destes 19 foram tuberculose (TB) -IRIS. Os nóveis basais de vitamina D e D-dA?mero, interferon gama (IFNI?) e sCD14 foram independentemente associados ao risco de IRIS em análises multivariadas. Os casos de TB-IRIS exibiram uma biosignatura distinta da IRIS relacionada a outros patógenos, com nóveis aumentados de proteína C-reativa (CRP), sCD14, IFNI? e nóveis mais baixos de hemoglobina que poderiam ser capturados por uma pontuação de risco composta. Os marcadores elevados da resposta de auxiliar T de tipo 1 (Th1), ativação de monA?citos, coagulação e baixa vitamina D foram independentemente associados ao risco de IRIS. As intervenções que diminuem a ativação imune e aumentam os nóveis de vitamina D merecem mais estudos. • Glucose Metabolism Disorder Is AssociatedA?with Pulmonary Tuberculosis in IndividualsA?with Respiratory Symptoms from Brazil (O transtorno do metabolismo da glicose está associado A? tuberculose pulmonar em indivíduos com sintomas respiratários do brasil) A?- Revista online PLOS ONEA?- Abril / 2016A?A? Resumo A diabetes mellitus (DM) tem sido associado a um aumento do risco de tuberculose pulmonar (TBP) em ambientes endA?micos, mas não se sabe se o risco de TBP também A? aumentado pelo prA?-DM. Aqui, prospectivamente, examinamos a associação entre transtorno do metabolismo da glicose (MDG) e TBP em pacientes com sintomas respiratários em um centro de referência de atenção primA?ria de tuberculose no Brasil. Métodos O teste de toleráncia oral A? glicose foi realizado e os nóveis de glicose plasmática em jejum e hemoglobina glicosilada (HbA1c) foram medidos em uma coorte de 892 indivíduos com sintomas respiratários de mais de duas semanas de duração. Os pacientes também foram testados para PTB com culturas de escarro. A prevalência de prA?-DM e DM (baseada em HbA1c) foi estimada e testada para associação com incidência da TBP. Outros fatores de risco de TB incluindo histária de tabagismo foram analisados. Resultados A maioria da população do estudo (63,1%) exibiu MDG com base em HbA1c = 5,7%. Os pacientes com MDG apresentaram maior prevalência de TBP em comparação aos pacientes com normoglicA?mia. Indivíduos com DM exibiram maior frequência de sintomas relacionados à TB e detecção de bacilos ácido-rápido em escarro. Entre os pacientes com diagnóstico prévio de DM, a hiperglicemia sustentada (HbA1c = 7,0%) foi associada ao aumento da prevalência de TB. A histária de tabagismo isoladamente não foi significativamente associada A? TB na população estudada, mas a combinação de tabagismo e HbA1c= 7,0% foi associada com 6 vezes maior probabilidade de TBP. Conclusões Hiperglicemia sustentada e pré-DM estão associadas independentemente com TBP ativo. Esta evidência levanta a questão se a melhoria do controle glicêmico em pacientes com TB diabética reduziria o risco de transmissão de TB e, simultaneamente, reduzir a carga clínica da doença. Uma melhor compreensão dos mecanismos subjacentes a essas associações, especialmente aquelas que sugerem que a pré-DM pode ser um fator que leva à susceptibilidade à TB é justificada. • Inflammation and Change in Body Weight With Antiretroviral Therapy Initiation in a Multinational Cohort of HIV-Infected Adults. (Inflamação e mudança no peso corporal com a iniciação de terapia antirretroviral em uma coorte multinacional de adultos infectados pelo HIV) Mave V, Erlandson KM, Gupte N, Balagopal A, Asmuth DM, Campbell TB, Smeaton L, Kumarasamy N, Hakim J, Santos B, Riviere C, Hosseinipour MC, Sugandhavesa P, Infante R, Pillay S, Cardoso SW, Tripathy S, Mwelase N, Berendes S, Andrade BB, Thomas DL, Bollinger RC, Gupta A; ACTG PEARLS and NWCS 319 Study Team. J Infect Dis. 2016 Jul 1;214(1):65-72. doi: 10.1093/infdis/jiw096. Epub 2016 Mar 8. Resumo Tanto a perda de peso quanto a obesidade estão associadas à inflamação, mas a medida em que as alterações do peso corporal influenciam a inflamação durante a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana é desconhecida. MA?todos. Entre os participantes aleatoriamente suprimidos virologicamente do ensaio “Avaliação Prospectiva de Antirretrovirais em Regiões com Recurso Limitado”, os marcadores inflamatórios foram medidos nas semanas 0, 24 e 48 após o início da terapia antirretroviral (ART). As associações entre o valor basal e a alteração do índice de massa corporal (IMC, calculado como o peso em quilogramas dividido pela altura em metros quadrados) e as alterações nos marcadores de inflamação foram avaliadas utilizando modelos de efeitos aleatórios. Resultados. Dos 246 participantes, 27% tinham sobrepeso / obesidade (IMC, • 25) e 8% estavam abaixo do peso (IMC Conclusões. O excesso de peso ou a insuficiência ponderal no início da TARV estavam associados a uma inflamação sistêmica aumentada. Enquanto o ganho de peso entre pessoas com sobrepeso / obesos previam aumento da inflamação, ganho de peso entre pessoas com baixo peso predisse inflamação reduzida. • Diabetes Is Associated with Worse Clinical Presentation in Tuberculosis Patients from Brazil: A Retrospective Cohort Study (A diabetes é associada a uma pior apresentação clínica da tuberculose em pacientes do Brasil: um estudo de coorte retrospectivo) – Revista online PLOS ONE – Janeiro / 2016 Resumo A prevalência crescente de diabetes mellitus (DM) em todo o mundo, especialmente nos países em desenvolvimento, e a persistância da tuberculose (TB) como grande problema de saúde pública nessas mesmas regiões, enfatizam a importância de investigar esta associação. Aqui, comparamos o perfil clínico e os resultados da doença de pacientes com TB com ou sem DM coincidente em um centro de referência de TB no Brasil. Métodos Realizou-se uma análise retrospectiva de uma coorte de pacientes com TB de 408 indivíduos recrutados em um centro de atenção primária de TB no Brasil entre 2004 e 2010. Foram utilizados dados sobre o diagnóstico de TB e DM para definir os grupos. Os grupos de estudo foram comparados com relação à apresentação da doença de TB no diagnóstico assim como aos resultados clínicos tais como a cura e as taxas de mortalidade ao iniciar a terapêutica anti-tuberculose (ATT). Utilizou-se uma pontuação composta utilizando parâmetros clínicos, radiológicos e microbiológicos para comparar a gravidade da TB entre os grupos. Resultados Os pacientes com DM eram mais velhos do que os pacientes não-diabéticos. Além disso, os indivíduos diabéticos apresentaram mais frequentemente tosse, sudorese noturna, hemoptise e mal-estar do que aqueles sem DM. O padrão geral de lesões pulmonares avaliadas pelo exame radiográfico de tórax foi semelhante entre os grupos. Em comparação com os pacientes não diabéticos, os pacientes com diabetes tipo TB apresentaram bacilos ácido-rápido positivo nas amostras de escarro mais frequentemente no momento do diagnóstico e aos 30 dias após o início do ATT. Notavelmente, os valores mais elevados da pontuação da gravidade da TB foram significativamente associados com a comorbidade TB-diabetes após ajuste para fatores de confusão. Além disso, durante o ATT, os pacientes diabéticos necessitaram de transferências mais frequentes para os hospitais de referência de TB para tratamento clínico complexo. No entanto, as taxas de mortalidade e de cura foram indistinguíveis entre os grupos de estudo. Conclusões Esses achados reforçam a ideia de que o diabetes afeta negativamente a gravidade da TB pulmonar. Nosso estudo defende a triagem sistemática de DM em centros de referência de TB em Áreas endêmicas. • Differential Expression of the Eicosanoid Pathway in Patients With Localized or Mucosal Cutaneous Leishmaniasis. (Expressão diferencial da via eicosanoide em pacientes com leishmaniose cutânea localizada ou mucosa) França-Costa J, Andrade BB, Khouri R, Van Weyenbergh J, Malta-Santos H, da Silva Santos C, Brodyskn CI, Costa JM, Barral A, Bozza PT, Boaventura V, Borges VM. J Infect Dis. 2016 Apr 1;213(7):1143-7. doi: 10.1093/infdis/jiv548. Epub 2015 Nov 17. Resumo Se pensa que a Inflamação não controlada desempenha um papel crítico no desenvolvimento de diferentes formas clínicas de leishmaniose tegumentar. Os eicosanóides são potentes mediadores da inflamação e fortemente associados A? modulação das respostas imunes. Neste estudo exploratório transversal, o objetivo foi determinar se os alvos da via biosintética eicosanóide avaliados por meio de ensaios de expressão multiplexados tanto em biópsias de lesão como em plasma poderiam evidenciar uma bioassinatura distinta em pacientes com leishmaniose mucocutânea (MCL) ou leishmaniose cutânea localizada (LCL). As diferenças na imunopatogênese entre MCL de LCL podem resultar de um desequilíbrio entre prostaglandinas e leucotrienos, que podem servir como alvos para futuras terapias dirigidas ao hospedeiro. • Tissue factor expression by myeloid cells contributes to protective immune response against Mycobacterium tuberculosis infection. (A expressão do fator tecidual pelas células mielA?ides contribui na resposta imunológica protetora contra a infecção por Mycobacterium tuberculosis) Venkatasubramanian S, Tripathi D, Tucker T, Paidipally P, Cheekatla S, Welch E, Raghunath A, Jeffers A, Tvinnereim AR, Schechter ME, Andrade BB, Mackman N, Idell S, Vankayalapati R. Eur J Immunol. 2016 Feb;46(2):464-79. doi: 10.1002/eji.201545817. Epub 2015 Nov 10. Resumo O fator tecidual (TF) A? uma glicoproteína transmembrana que desempenha um papel essencial na hemostasia pela ativação da coagulação. O TF também é expresso pelos monócitos / macrófagos como parte da resposta imune inata às infecções. No presente estudo, determinou-se o papel do TF expresso pelas células mielóides durante a infecção por Mycobacterium tuberculosis (M. tb) utilizando murganhos que carecem do gene TF em células mielóides (TFI) e macrófagos derivados de monócitos humanos (MDMs). Verificou-se que durante a infecção por M. tb, uma deficiência de TF em células mielóides foi associada A? expressão aumentada de arginase 1 (Arg1), aumento da produção de IL-10 e redução do apoptose em macrófagos infectados, acrescentado o crescimento da M. tb. Nossos resultados demonstram que uma deficiência de TF em células mielóides promove fenótipo tipo M2 em macrófagos infectados com M. tb. Uma deficiência na expressão de TF por células mielóides também estava associada com a redução da deposição de fibrina e aumento da metaloproteases de matriz (MMP) -2 e a inflamação mediada por MMP-9 em pulmões infectados com M. tb. Nossos estudos demonstram que a TF expressa por células mielóides tem reconhecidas habilidades para polarizar macrófagos e regular o crescimento de M. tb.

COMPARTILHE:

matriz

  • FUNDAÇÃO JOSÉ SILVEIRA

    Ladeira do Campo Santo, s/n - Federação. Salvador-BA.
    CEP: 40210-320.
    Tel.: (71) 3504-5000

filial

  • JEQUIÉ

    Av. Carlos Aguiar Ribeiro / Anel Viário. Loteamento São Judas Tadeu, s/n. Jequié-BA.
    CEP: 45204-040